Lulismo, oportunismo e extinção do PT

Share:

Em momento anterior eu dizia que o ex presidente Luiz Inácio da Silva, havia se tornado mais forte que o seu próprio partido, o PT.

Na verdade o lulismo ultrapassou o Ptismo, vindo a ser a maior tendência política do inicio do século XXI. Tamanho prestígio, foi a base ideal para a construção de uma presidente sem qualquer expressão nacional, nas eleições do ano 2010.

Lula com sua política e jeito paternalistas, se tornou o fenômeno das massas, o “Vargas” da era moderna no Brasil.

Mas é fato também que nem mesmo o homem considerado por muitos, o mais importante da República brasileira, e um dos mais influentes do mundo, conseguiria suportar por um período tão prolongado a crise política instalada no país, ele bem tentou.

O desgaste da imagem pública de Dilma Vana Rousseff, hoje a presidente mais rejeitada da história recente do Brasil, aos poucos é transferido para o “presidente” do povo.

Os novos desdobramentos da economia, o desemprego acentuado, a inflação, a corrupção e os cortes no orçamento do governo, que atingem diretamente a sociedade, fazem com que o povo cobre ainda mais do ex presidente, que foi avalista da atual gestora.

Visivelmente inquieto com tudo que está acontecendo, Lula surpreendeu essa semana, sobre tudo aos “fanáticos” que não admitem nenhum tipo de critica ao PT, e nem ao decadente governo de Dilma.
Ele, o próprio Lula, disse que o Partido dos Trabalhadores não tem mais “sonhos”, que só pensa em “grana” e poder, indo além, sugeriu que a Presidente do Brasil, sua apadrinhada política, mentiu para o povo e desrespeitou os trabalhadores contra a vontade dele.

E agora, o que o exército de Ptistas que vive de plantão nas mídias sociais, arranjando justificativas “baratas” para as falcatruas do PT vai fazer? Vai atacar o líder maior? Postar aqueles números ultrapassados do tempo que o Brasil estava bem economicamente, para silenciar até o Lula? Vão usar daquela intolerância costumeira que mais parece violência verbal com ele também.

Lula do Brasil, com as declarações recentes, deixou os “companheiros”, salvo as boas exceções, que foram seduzidos por ele mesmo para defender o erro e os errados incansavelmente, em situação no mínimo constrangedora.

Essa ala vai precisar entender, e com certa rapidez, que falar mal do PT é a única alternativa que restou ao “grande” líder.

A estratégia agora, é separar o lulismo do Ptismo, desvincular Lula desse mar de lama, separar o joio do trigo, o homem “honesto” dos ladrões, e por fim, extinguir o PT, ideia defendida por um setor que ganha força na legenda.

Com olhar voltado para 2018, Luiz Inácio “Lula” da Silva repete o gesto de Vargas em 1954, e dá a ultima cartada.

Naquele momento histórico, encurralado politicamente, Getúlio acerta um tiro no peito, e prorroga o golpe militar por dez anos através de uma forte comoção popular gerada pela própria morte.
Mas o Lula, é muito mais esperto. Vendo o PT sangrando e o projeto que edificou em decadência, decidiu “atirar” no partido e matá-lo se preciso for, para seguir vivo na política.

Mas é bom ficarmos atentos, afinal quem fez o PT ficar do jeito que está hoje?

Lázaro Farias
Jornalista e Professor de História

Nenhum comentário